Blog: Inside_The_Geo
Você está vendo a Turma 2010 - Ver outros anos

Inside_The_Geo Blog: Inside_The_Geo
Renan (E-24), Samy (E-25)
Thiago (E-27)

Fim?
Por Thiago (E-27) - quinta, 30 de dezembro de 2010, às 19:10:29
Categoria: Postagem Livre
Fim ou um novo começo??

Lido 489 vezes   Comentários (0)
 
 
Oriente Médio
Por Inside_The_Geo - segunda, 22 de novembro de 2010, às 18:30:19
Categoria: Charge



Lido 501 vezes   Comentários (0)
 
 
Chávez fala em eleição na Venezuela e já prevê posse de Dilma no Brasil
Por Inside_The_Geo - terça, 28 de setembro de 2010, às 12:43:07
Categoria: Postagem Obrigatória

No primeiro discurso após o resultado das eleições parlamentares na Venezuela, o presidente Hugo Chávez mencionou as eleições no Brasil e deu como certa a vitória da candidata pelo PT, Dilma Rousseff, ao falar sobre a presença da oposição na Assembleia venezuelana.

Chávez ressaltou que os processos nacionais vão seguir a Constituição e disse que os deputados da oposição eleitos no domingo (26) não vão ser um problema para o governo porque só vão assumir no próximo ano, depois que houver a sucessão presidencial no Brasil.

"A Nova Assembleia só assume no próximo ano. Só assume depois que Dilma assumir o poder no Brasil. Dilma Rousseff. Preciso aprender a pronunciar de forma correta o nome dela, Dilma Rousseff", disse.

O presidente venezuelano também ironizou nesta segunda os partidos de oposição de seu país, por terem discursado afirmando terem vencido as eleições parlamentares realizadas no país no domingo. "Se quiserem, podem continuar ganhando de mim desse jeito", brincou, em entrevista coletiva à imporensa internacional, no Palácio presidencial de Miraflores.

Segundo Chávez, a oposição é formada por "partidinhos", por serem grupos pequenos em comparação com o seu Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). O grupo chavista conquistou a maioria das 165 vagas de deputado na Assembleia Nacional do país, mas deixou de ter mais de dois terços das cadeiras, considerados "maioria qualificada", que permite aprovar a maior parte das mudanças no país. Opositores do presidente alegaram terem sido vencedores por terem tirado do governo esta maioria de dois terços e por terem tido mais votos nacionalmente.

Comentário: De acordo com a eleição do proximo domingo, e tendo em vista a ascendencia populista em toda amertica latina, é natural de que Chavez esteja feliz com o possivel resultado das eleições, mesmo o PT não sendo mais um 'partido trabalhista' por excelencia, negando suas origem após a tomada de poder federal.

http://g1.globo.com/mun...ma-no-brasil.html


Lido 526 vezes   Comentários (0)
 
 
Imóveis 'baratos' nos EUA atraem compradores brasileiros
Por Thiago (E-27) - domingo, 26 de setembro de 2010, às 17:07:04
Categoria: Postagem Livre

Mais de dois anos após o estouro da bolha nos Estados Unidos, o setor imobiliário do país ainda se recupera lentamente, mantendo casas e apartamentos desvalorizados. Atraídos pela oportunidade de comprar imóveis a preços mais baixos do que os verificados antes de 2008 e convertê-los em rendimento, brasileiros estão apostando nesse terreno.

De olho na expansão da economia brasileira, imobiliárias dos Estados Unidos oferecem descontos para quem mora no Brasil e quer comprar uma casa ou um apartamento lá fora. No último ano, esse movimento tem sido mais frequente, de acordo com Renan Cazarine Constantino, da Piquet Realty, imobiliária norte-americana que trouxe para um salão de habitação em São Paulo opções de imóveis em Miami, com preços reduzidos.

"Vemos no mercado brasileiro uma grande oportunidade. Enquanto os Estados Unidos ainda não se recuperam da recessão, a economia do Brasil se mantém em crescimento. Com a valorização do real, acaba compensando comprar um imóvel fora, enquantos os preços estão baixos, e colocar até para alugar", disse Constantino. A empresa oferece apartamentos a partir de 180 metros quadrados, a US$ 580 mil (o equivalente a cerca de R$ 986 mil), que incluem cozinha planejada e banheiros equipados.

Dados da rede de imobiliárias norte-americana, que tem parcerias com 75 países, mostram que 80% dos imóveis vendidos no último ano, em Miami, foram comprados por estrangeiros. Desse total, 50% são brasileiros.

"O preço caiu tanto que já é possível comprar uma casa de bom padrão em Miami, com três dormitórios, piscina, quadra, em uma área residencial por preços parecidos com os encontrados no Brasil. Em média, os imóveis nos Estados Unidos estão custando 45% menos do que antes da crise, quando o mercado estava superaquecido", disse o presidente de relações da National Association of Realtors (NAR) para o Brasil, Marco Fonseca.

Em Miami, na Flórida, há imóveis de 100 a 110 metros quadrados a partir de US$ 70 mil (cerca de R$ 119 mil), segundo Fonseca. Uma casa, por exemplo, em uma área escolar relativamente valorizada, de 280 metros quadrados, pode ser encontrada, em média, por US$ 300 mil (perto de R$ 510 mil). No Brasil, imóveis com esse mesmo perfil chegam a custar, em média, a partir de R$ 297 mil e R$ 784 mil, respectivamente, considerando preços encontrados na capital paulista.

Especialistas do mercado defendem que a compra de imóveis no exterior pode ser uma fonte de renda significativa, considerando as chances de os Estados Unidos, por exemplo, se recuperarem da crise, ainda que de forma lenta. E eles estão otimistas: "quem não quiser alugar também pode comprar para passar férias, fazer compras", sugere o corretor.

Cuidados

Especialistas alertam que, embora possa parecer vantajosa, a compra de um imóvel no exterior requer cuidados. A orientação é que o interessado procure um corretor profissional com o certificado CIPS, que lhe dá a capacidade de conduzir a aquisição do imóvel no exterior. É imprescindível ainda que o corretor seja associado à NAR.

Outro ponto ao qual os interessados devem ficar atentos é o visto. "Não é porque a pessoa possui um imóvel nos Estados Unidos que terá livre acesso ao país. Essa é uma questão importante, principalmente se o imóvel for comprado para turismo", disse Fonseca.  

Estrangeiros no Brasil

O movimento inverso, de estrangeiros investindo na compra de imóveis no Brasil, também tem sido observado. Com o mercado em expansão, empresas europeis, asiáticas e norte-americanas têm alugado prédios inteiros para se instalar no país.

"Vivemos um momento de muita segurança jurídica, de perspectivas de crescimento ainda maiores para a economia, sem contar as condições naturais do nosso país. É natural que o investidor estrangeiro se sinta motivado a vir para o Brasil", afirmou o presidente do Sindicato da Habitação (Secovi-SP), João Crestana.

Além do eixo Rio-São Paulo, onde estão concentrados os centros financeiros do país, a região Nordeste tem exercido grande atração sobre os estrangeiros, principalmente sobre europeus. "Vemos de tudo. Advogados comprando escritórios em São Paulo, investidores comprando resorts", disse o presidente de relações da National Association of Realtors (NAR).


Fonte: http://g1.globo.com/economia-e-negocios/noticia/2010/09/imoveis-baratos-nos-eua-atraem-compradores-brasileiros.html


Lido 528 vezes   Comentários (0)
 
 
BP divide entre 'múltiplas empresas' culpa por vazamento de óleo no Golfo
Por Inside_The_Geo - quarta, 08 de setembro de 2010, às 20:44:28
Categoria: Postagem Obrigatória

A British Petroleum, responsável pelo acidente que provocou o desastre ambiental do Golfo do México, afirmou que a explosão da plataforma foi causada por uma série de "erros mecânicos" e "decisões humanas", atribuídos a "múltiplas companhias", segundo um relatório publicado nesta quarta-feira (8) pelo grupo.

O relatório interno é resultado de uma investigação feita por peritos de segurança e de operações da BP.

Entre os fatores causadores do acidente, estariam erros no design do poço, má qualidade do cimento usado na perfuração  e falhas da tripulação da plataforma Deepwater Horizon, operada pela empresa Transocean.

O acidente ocorreu em 20 de abril e provocou o maior vazamento de petróleo da história dos EUA.

Desde então, a empresa vem sendo acusada de negligência na maneira de tratar os efeitos da explosão e de deter a maré de óleo. A BP vem dizendo que acredita não ter sido negligente.

Simultaneamente com a divulgação da auditoria interna da BP, a empresa classificadora de crédito Fitch Ratings elevou em três graus a classificação de crédito da BP de "BBB" para "A" mostrando que, desde o fim da ameaça de mais vazamentos de petróleo do poço no Golfo do México, melhorou a perspectiva da companhia.

"O relatório da investigação oferece uma informação importante sobre as causas deste acidente terrível", sustentou em uma declaração distribuída pela BP ao executivo principal (e renunciante), Tony Hayward.

"É evidente que ocorreu uma série de eventos complexos, mais do que um erro ou uma única falha, conduziu a esta tragédia", acrescentou Hayward. "Tiveram participação nisto várias partes, BP, Halliburton e Transocean".

A empresa Transocean operava a plataforma Deepwater Horizon, cujo incêndio e afundamento, causaram a morte de 11 trabalhadores entre os mais de cem que estavam na estrutura quando ocorreu a explosão do poço perfurado a mais de 1,5 mil metros de profundidade no Golfo do México.

A Halliburton tinha a seu cargo por parte do trabalho de construção no poço.


Fonte: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/09/relatorio-da-bp-responsabiliza-varias-empresas-por-vazamento-de-oleo.html


Comentário: Uma vez que o problema foi solucionado, a investigação cairá por terra , ou apenas será levantado os erros de outras empresas envolvidas, como ocorreu . Cabe à BP assumir seu erro e prover medidas para que o mesmo não se repita.


Por  Inside_The_Geo


Lido 534 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>