Blog: GeoNoticias
Você está vendo a Turma 2012 - Ver outros anos

Blog: GeoNoticias
Gabriel (A-6), Guilherme (A-8)
José (A-11), Vinícius (A-29)

Cidade dos shopping centers
Por GeoNoticias - quarta, 17 de outubro de 2012, às 21:31:19
Categoria: Postagem Obrigatória


Lido 597 vezes   Comentários (0)
 
 
Russomano Tiririca
Por GeoNoticias - segunda, 01 de outubro de 2012, às 21:15:42
Categoria: Charge


Lido 618 vezes   Comentários (0)
 
 
Novo programa financia pequena empresa inovadora
Por GeoNoticias - domingo, 26 de agosto de 2012, às 20:03:07
Categoria: Postagem Obrigatória
Micro e pequenas empresas dedicadas à inovação tecnológica, mesmo que ainda não tenham ganho um só centavo, podem agora recorrer ao governo do Estado de São Paulo para financiar seus projetos. Foi lançado nesta sexta-feira, 24, o programa São Paulo Inova, com um conjunto de três linhas de financiamento administrado pela Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP). O valor previsto para o programa é de R$ 250 milhões. "Não é mais só nos Estados Unidos que empresas de fundo de quintal viram as maiores empresas do mundo", declarou o governador do Estado, Geraldo Alckmin. Ele se referia à linha de fomento bancada pelo Fundo Estadual de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcet). Nessa proposta, enquadram-se desde companhias sem faturamento nenhum (mas vinculadas a uma agência de pesquisa) até as que faturam R$ 3,6 milhões anuais. Elas podem receber de R$ 20 mil até R$ 200 mil de financiamento, sem juros nem correção monetária, desde que o valor seja pago dentro do vencimento, que pode chegar a 60 meses. Quem deseja se inscrever no São Paulo Inova deve entrar em contato com a Desenvolve SP pessoalmente (na Rua da Consolação, 371, 2.º andar, no centro) ou por meio do site. A agência pode sanar dúvidas pelo telefone (11) 3123-0464 e pelo e-mail atendimento@desenvolvesp.com.br. Mas o que define uma empresa como inovadora? "É aquela que busca criar novos produtos ou novos processos de produção e que faz isso por meio de um processo científico. Ela deve baratear o que está à disposição da sociedade no mercado", responde o presidente da Desenvolve SP, Milton Luiz de Melo Santos. Apesar de o São Paulo Inova já nascer em parceria com as incubadoras e parques tecnológicos distribuídos pelo Estado, Santos garante que companhias independentes também serão beneficiadas. "Vai depender da demanda", avisa. Segundo o diretor-superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em São Paulo (Sebrae-SP), Bruno Caetano, o tempo para se ingressar em uma das mais de 20 incubadoras de projetos vinculadas ao órgão vai de duas a três semanas. "Quem faz parte de uma incubadora sai na frente ao tentar conseguir financiamento, porque já passou por uma triagem", explica Caetano. Quem vai aprovar ou desaprovar as empresas que recorrerem ao São Paulo Inova será um comitê gestor formado por parceiros da Desenvolve SP. De acordo com o presidente da agência, as companhias com projetos mais bem detalhados e com documentos em dia vão levar entre um mês e meio e dois meses para terem o crédito liberado. Inovação Paulista. Também integra o São Paulo Inova uma linha de incentivo para a companhia que não desenvolve produtos nem processos produtivos inovadores, mas que incorpora novidades tecnológicas à própria empresa, tornando-a mais competitiva. O Fundo Inovação Paulista tem patrimônio de R$ 100 milhões. Até um quarto dessa quantia deve vir da Desenvolve SP. O restante terá participação do Sebrae-SP, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e da iniciativa privada. Terão preferência nessa linha projetos de nanotecnologia, tecnologia da informação, fotônica e ciências da vida. http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,novo-programa-financia-pequena-empresa-inovadora,124397,0.htm COMENTÁRIO: O Brasil atualmente passa por um processo de desindustrialização. Por isso, os governos federal e estadual vêm tomando medidas que buscam incentivar a indústria nacional. Esse programa "São Paulo Inova" não é diferente. O governo do estado de SP está financiando empreendedores que alem sua produção ao desenvolvimento tecnológico. Com o desenvolvimento de tecnologia, os produtos brasileiros ganham competitividade e valor agregado no cenário internacional. Mas o desenvolvimento tecnológico também traz vantagens internamente, diminuindo nossa dependência de produtos importados e disponibilizando ao consumidor produtos mais baratos. A inovação tecnológica também nos torna menos dependentes da exportação de produtos primários e deixa nossa balança comercial mais favorável. Logo, vemos que esse programa deve trazer vários benefícios para o país, mas, mesmo assim, o brasil ainda precisa investir mais no desenvolvimento de tecnologias nacionais.
Lido 629 vezes   Comentários (0)
 
 
Lula e o mensalão
Por GeoNoticias - sábado, 18 de agosto de 2012, às 10:44:22
Categoria: Charge


Lido 649 vezes   Comentários (0)
 
 
Dólar encerra em R$ 2,028 pela 3ª sessão consecutiva
Por GeoNoticias - terça, 07 de agosto de 2012, às 20:21:08
Categoria: Postagem Obrigatória
SÃO PAULO – O dólar fechou novamente cotado a R$ 2,028, pelo terceiro pregão consecutivo, em um dia de volume financeiro mais fraco. Em grande parte da sessão, o movimento de baixa da divisa no mercado doméstico acompanhou a trajetória apresentada no exterior, reagindo à alta dos principais índices acionários globais impulsionados pelo apetite por risco. No meio da tarde, porém, enquanto o Ibovespa renovava mínimas, o dólar voltou a tocar a máxima do dia ante o real, mas perdeu fôlego para fechar estável. No mercado doméstico, a moeda norte-americana permanece oscilando em margens estreitas, uma vez que prevalece a percepção de que o governo e o BC continuam dispostos a manter o dólar no intervalo informal de R$ 2,00 a R$ 2,10. Dados econômicos desapontaram na Europa, bem como no Reino Unido, mas o foco dos investidores continuou voltado para as expectativas relacionadas ao Banco Central Europeu (BCE). Nos Estados Unidos, o presidente do Fed de Boston, Eric Rosegren, reiterou comentários em favor de uma “política monetária pró-crescimento” e reforçou a defesa por um programa agressivo de compra de títulos até que o desemprego volte a cair nos EUA. O presidente do Fed, Ben Bernanke, afirmou que a situação europeia “é muito difícil”. O dólar à vista fechou a R$ 2,028 no mercado de balcão (0,0%). Na máxima, o dólar foi a R$ 2,031 e bateu R$ 2,023 na mínima. Na BM&F, a moeda spot fechou também em R$ 2,028, com leve alta de 0,08%. O giro financeiro total somava US$ 905,4 milhões (US$ 854,3 milhões em D+2) perto das 16h30 horas. No mesmo horário, o dólar para setembro de 2012 estava cotado R$ 2,038, com queda de 0,17%. No exterior, a rupia registrou o maior nível em três semanas ante o dólar, beneficiando-se do fato de que o apetite por risco permanece firme, em face das expectativas dos investidores quanto a compras de títulos soberanos europeus pelo BCE. O dólar canadense bateu o maior nível em três meses ante o dólar norte-americano, mandando a divisa norte-americana abaixo da paridade ao longo do dia. O dólar australiano bateu a maior alta em aproximadamente cinco meses ante o dólar norte-americano, em reação à confirmação de manutenção do juro em 3,5% pelo Reserve Bank da Austrália (RBA). O fôlego de alta não se sustentou, porém, uma vez que a autoridade monetária continuou mostrando preocupação com a alta da moeda local, mas analistas estimaram que o RBA ainda não deve fazer intervenções. Já o dólar neozelandês ante o dólar norte-americano foi abatido por manifestações do governo advertindo investidores sobre apostas em movimentos unilaterais da moeda, em uma referência ao fortalecimento da divisa local. O euro também mostrou ganhos ante o dólar, mas perdeu parte do fôlego diante de realização de lucros, segundo estrategistas estrangeiros. http://blogs.estadao.com.br/economia-tempo-real/2012/08/07/dolar-encerra-em-r-2028-pela-3a-sessao-consecutiva/ COMENTÁRIO:Cotado em R$ 2,028 Dólar se estabiliza acima dos dois reais e passa a oscilar pouco. Colocando na balança a desvalorização do real é benéfica, pois deixa a importação mais cara e a exportação mais barata. Com o aumento dos preços dos produtos importados há um aumento do consumo dos produtos produzidos no Brasil, aquecendo o mercado interno e a economia. Além disso, facilita a exportação de produtos com valor agregado. O único ponto negativo é que quem vai viajar para os Estados Unidos pagará mais caro.
Lido 663 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>