Blog: Geomundo
Você está vendo a Turma 2012 - Ver outros anos

Geomundo Blog: Geomundo
Felipe (B-12), Gustavo (B-15)
Jean (B-18), Victor (B-29)

foto
Por Geomundo - quarta, 17 de outubro de 2012, às 21:21:57
Categoria: Postagem Obrigatória

Segue a foto em anexo.
Lido 534 vezes   Comentários (0)
 
 
Chávez afirma que seguirá apoiando o 'governo legítimo' da Síria
Por Jean (B-18) - quarta, 10 de outubro de 2012, às 19:37:10
Categoria: Postagem Livre
CARACAS, 9 Out 2012 (AFP) -O presidente venezuelano, Hugo Chávez, seguirá apoiando o "governo legítimo" de Bashar al-Assad na Síria, acusando os Estados Unidos de estarem por trás da crise, disse nesta terça-feira durante sua primeira entrevista coletiva à imprensa após a sua reeleição, no domingo. "Como não apoiar o governo de Bashar al-Assad se é o governo legítimo da Síria? Quem apoiar, os terroristas, que pedem um conselho de transição enquanto andam matando gente por todos os lados?", afirmou Chávez, reeleito no domingo com mais de 55% dos votos frente ao opositor Henrique Capriles. "Eu não sei como alguns governos da Europa se reúnem com os terroristas e desconhecem um governo legítimo, por isso é claro para nós que temos que seguir apoiando o governo legítimo e defender a paz na Síria", acrescentou. Chávez, de 58 anos e no poder desde 1999, reiterou sua tese de que na Síria há uma "crise planejada" como, segundo disse, ocorreu com o governo de Muamar Kadhafi, na Líbia. "O governo dos Estados Unidos é um dos maiores responsáveis por este desastre. Agora senhor (presidente americano Barack) Obama, se for reeleito, recapacite, reflita, e os governos europeus" também, acrescentou. O mandatário foi enfático ao afirmar que seu governo apoia a "soberania dos povos" e que "a Síria é um país soberano como a Líbia, a Venezuela, os Estados Unidos...". "Se não estamos de acordo com o que pense um ou outro, nós os bombardeamos?", questionou. "Queria que pudéssemos fazer algo (na Síria), mas o que pode fazer um país como a Venezuela?", declarou. Chávez também saudou a posição da Rússia, aliada tradicional de Damasco, e da China, que bloquearam as resoluções condenando o regime sírio no Conselho de Segurança das Nações Unidas, embora tenha lamentado que o mesmo não tenha acontecido com a Líbia. A Venezuela apoia a Síria desde 2011, inclusive já tendo enviado pelo menos três carregamentos de diesel, depois da eclosão de um conflito que deixou mais de 32.000 mortos e dezenas de milhares de deslocados, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Fonte:http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/10/chavez-afirma-que-seguira-apoiando-o-governo-legitimo-da-siria.html
Lido 544 vezes   Comentários (0)
 
 
Rebeldes sírios pedem que ONU anuncie fracasso de plano de paz
Por Jean (B-18) - terça, 25 de setembro de 2012, às 00:23:34
Categoria: Postagem Livre
Os rebeldes Exército Sírio Livre (ESL, formado principalmente por desertores) pediu neste sábado (26) ao Conselho de Segurança da ONU para anunciar o fracasso do plano de paz do mediador Kofi Annan, após uma ofensiva do regime sírio sobre a cidade de Hula, na província central de Homs, deixar pelo menos 90 mortos. "Nós pedimos ao Conselho de Segurança e à comunidade internacional que tomem sua responsabilidade e anunciem o fracasso da iniciativa de Annan", diz o ESL, em um comunicado. A ONU considerou as mortes uma "tragédia brutal" e informou em comunicado a contagem dos de 32 crianças e mais de 60 adultos. "Esta manhã, observadores militares e civis da ONU contaram os corpos de 32 crianças e mais de 60 adultos. Esta é uma tragédia brutal," disse o chefe da missão de "capacetes azuis" na Síria, o general Robert Mood, em comunicado. O mediador de paz da ONU Kofi Annan planeja viajar a Damasco na noite de domingo, para avaliar pela segunda vez o acordo assinado há mais de um mês entre as partes prevendo um cessar-fogo, que tem sido sistematicamente violado. Annan deve se reunir com o presidente do país Bashar al-Assad e figuras da oposição no país árabe. Resposta internacional Além da França, que já havia exigido ação sobre o plano de paz da Síria na manhã deste sábado (26), o Reino Unido também apelou a uma "resposta internacional forte" em relação à Síria. O ministro das Relações Exteriores britânico, William Hague, exigiu neste sábado uma "resposta internacional forte" para o "massacre" de Hula e anunciou a intenção de solicitar uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas. "Nós começamos consultas urgentes com os nossos aliados, tendo em vista uma resposta internacional forte", disse o chefe da diplomacia britânica em comunicado. "Vamos pedir uma reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU nos próximos dias", disse ele. Fonte:http://g1.globo.com/revolta-arabe/noticia/2012/05/rebeldes-sirios-pedem-que-onu-anuncie-fracasso-de-plano-de-paz.html
Lido 556 vezes   Comentários (0)
 
 
Quase 80% dos novos membros da classe média são negros, diz governo
Por Jean (B-18) - quinta, 20 de setembro de 2012, às 20:41:57
Categoria: Postagem Livre
Quase 80% dos novos integrantes da classe média são negros, segundo pesquisa da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (20), durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília. Estudo da SAE mostra que, nos últimos dez anos, 35 milhões de brasileiros ascenderam à classe média – que já soma mais de 100 milhões de pessoas no Brasil, mais da metade da população brasileira. A expectativa da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República é que a classe média continue crescendo nos próximos anos, chegando a 57% de toda a população brasileira em 2022. Atualmente, ela representa 53% da população do país. A Secretaria de Assuntos Estratégicos considera classe média famílias "com baixa probabilidade de passarem a ser pobres no futuro próximo", com renda per capita entre R$ 291 e R$ 1.019 por mês. Segundo os critérios da secretaria, quem vive com mais de R$ 1.019 por mês pertence à classe alta. A comissão responsável pelos parâmetros reconhece que o valor é baixo, mas afirma que a renda familiar por pessoa de mais da metade da população é inferior a R$ 440 por mês. São consideradas pobres famílias com renda per capita inferior a R$ 291 por mês. "O crescimento da classe média brasileira foi resultado de um crescimento com redução da desigualdade. Se tivéssemos tido o mesmo crescimento, sem redução das desigualdades, a classe média teria crescido apenas 5 pontos percentuais. Deste modo, dois terços [66%] do avanço da classe média [nos últimos dez anos] se deve à redução das desigualdades", informou o secretário de Assuntos Estratégicos do órgão, Ricardo Paes de Barros. O secretário disse que também subiu, nos últimos anos, a chamada "classe alta", mas não na mesma intensidade da classe média. "A gente tirou mais pessoas da classe baixa [para a classe média] do que aumentou a classe alta. A classe média continua ascendendo. Parte dela foi promovida à classe alta, e esse processo vai continuar ao longo da próxima década". De acordo com o levantamento da SAE, da Presidência da República, a renda per capita da classe alta brasileira é mais de quatro vezes superior à renda da classe média. "Como principal hiato em relação à classe baixa, neste caso, é o diferencial de produtividade, que justifica uma parcela ainda maior: 72%. Em segundo lugar, surge a maior renda não derivada do trabalho da classe alta, que explica 22% da maior renda per capita da classe alta", informou o governo. Segundo a Secretaria de Assuntos Estratégicos, a classe média trabalha, em média, 41 horas semanais, pouco menos do que a classe alta (42 horas por semana), ambas acima da média nacional de 40 horas por semana. O governo concluiu que a taxa de ocupação da classe média e o grau de formalização são importantes, mas acrescentou que a educação é um "fator decisivo" para explicar a diferença entre a renda das classes média e alta. Fonte:http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/09/quase-80-dos-novos-membros-da-classe-media-sao-negros-diz-governo.html
Lido 558 vezes   Comentários (0)
 
 
BC reduz alíquotas de compulsório para aumentar liquidez no mercado
Por Victor (B-29) - sábado, 15 de setembro de 2012, às 01:22:48
Categoria: Postagem Livre
São Paulo, 14 set (EFE).- O Banco Central (BC) anunciou nesta sexta-feira uma redução das alíquotas do depósito compulsório sobre os depósitos dos clientes que os bancos comerciais devem respeitar, com o objetivo de injetar R$ 30 bilhões na economia. Em comunicado, o BC detalhou que a cota adicional de 6% de reserva que incide sobre os depósitos à vista e que foi introduzida em 2002 está anulada a partir de hoje. Além disso, a obrigação de preservar 12% dos depósitos a prazo fixo foi reduzida em 1% e passará a ser de 11% a partir do dia 29. Além disso, o órgão permitirá aos bancos comerciais que a metade do depósito compulsório sobre os depósitos a prazo seja cumprida mediante a aquisição de letras financeiras e carteiras de crédito. O conjunto de medidas tem por objetivo a injeção de cerca de R$ 30 bilhões na economia, além de contribuir para a "estrutura de recolhimentos compulsórios" e melhorar "a distribuição da liquidez no mercado interbancário". Segundo a instituição, as medidas servirão, ainda, para "reduzir os custos da intermediação financeira" e oferecer "melhores condições para que o setor opere de forma mais eficiente em linha com as reformas estruturais pelas quais passa a economia brasileira". http://noticias.r7.com/economia/noticias/bc-reduz-aliquotas-de-compulsorio-para-aumentar-liquidez-no-mercado-20120914.html
Lido 562 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>