Blog: KnowledGeo
Você está vendo a Turma 2012 - Ver outros anos

KnowledGeo Blog: KnowledGeo
Cecília (B-8), Fernando (B-14)
Mirella (B-26), Victor (B-30)

Foto
Por KnowledGeo - quarta, 17 de outubro de 2012, às 23:02:19
Categoria: Postagem Obrigatória

.
Lido 535 vezes   Comentários (0)
 
 
BH é líder em assassinatos de moradores de rua
Por KnowledGeo - sábado, 06 de outubro de 2012, às 14:34:21
Categoria: Postagem Obrigatória
Os moradores vivendo em situação de rua em Belo Horizonte não estão mais restritos somente à região central da cidade como há algus anos. Eles atualmente se espalharam até por áreas distantes do Centro. Este fenômeno ganhou força nos últimos quatro anos. Atualmente, há pessoas morando na rua em bairros diversos, em áreas distantes do Centro - como, por exemplo o bairro afluente de Santa Amélia, na região da Pampulha, na zona norte da cidade. Em 2005, estimava-se que havia cerca de1.200 moradores de rua em Belo Horizonte. A Pastoral de Rua crê que esse número subiu para 2 mil. Some-se a isso o fato de a capital mineira ser líder no ranking nacional de assassinatos de moradores de rua. Entre abril e agosto deste ano, um total de 59 moradores de rua foram assassinados em Belo Horizonte. O levantamento foi feito pelo Centro Nacional de Defesa dos Direitos Humanos da População em Situação de Rua e Catadores de Material Reciclável (CNDDH). Cultura violenta Glaston Lage é pedagogo e coordena os trabalhos do Serviço de Acolhimento Institucional de Atendimento à População de Rua e Migrante de Belo Horizonte. Lage acredita que informações sobre o alto índice de mortes de moradores de rua em Belo Horizonte são revelados com certo alarde na mídia e sem uma reflexão em torno do tema. ''Não podemos partir apenas do pressuposto que haveria uma intolerância da sociedade em relação à população de rua – governo, polícias, etc. –, mas um dado importante é que esta população não é um grupo homogêneo: pessoas com transtornos mentais, abandonadas pelas famílias, jovens, imigrantes, desempregados, idosos, dependentes químicos, ex-presidiários e até trabalhadores autônomos se misturam nas ruas e há um alto índice de violência entre eles mesmos. E isso, nada mais é que um reflexo da nossa própria cultura, que está mais violenta.'' Não é esta, no entanto, a opinião de Oziel Fernandes, 39 anos, há seis em condição de rua. Oziel afirma que se encontra nessa situação devido à morte de sua mãe e da ''esperteza'' do seu irmão, que se apossou do imóvel da família e não repassou a parte que lhe caberia. COMENTÁRIO: A capital de Minas Gerais vem aumentando seu número de moradores de rua mostrando uma triste realidade brasileira. Em consequência disso, Belo Horizonte passou a liderar o racking nacional de assassinatos desses indigentes. As causas para esse fenômeno podem ser diversas umas vez que não se trata de um grupo homogêneo e sim de imigrantes, ex-presidiários, dependentes químicos, entre outros. Pelas informações, percebemos que apesar do Brasil ter uma economia rica e competitiva, a situação social de nosso país continua desigual e triste. Essa é uma herança cultural e histórica que provavelmente cultivaremos por muito tempo.
Lido 549 vezes   Comentários (0)
 
 
Mensalão
Por KnowledGeo - segunda, 01 de outubro de 2012, às 23:38:09
Categoria: Charge

--------------------------------------------
Lido 554 vezes   Comentários (0)
 
 
Governo prorroga IPI reduzido para carros
Por KnowledGeo - sábado, 01 de setembro de 2012, às 14:08:39
Categoria: Postagem Obrigatória
Governo prorroga IPI reduzido para carros Desconto no imposto, que terminaria nesta sexta-feira (31), valerá até 31 de outubro DIOGO DE OLIVEIRA Maiores beneficiados, modelos populares com motores 1.0 litro seguirão isentos do IPI até 31 de outubro O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quarta-feira (29) a aguardada prorrogação do desconto no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para veículos. Datado para terminar na próxima sexta-feira (31), o abatimento na alíquota terá validade por mais dois meses – até o dia 31 de outubro. A redução do imposto, na pratica, beneficia especialmente os compactos populares equipados com motor 1.0 litro. Estes seguirão sem pagar a taxa, o que significa que os preços seguirão em torno de 10% menores. Pelos cálculos apresentados por Mantega, a prorrogação do IPI reduzido vai gerar uma perda de R$ 800 milhões de arrecadação de impostos aos cofres públicos – somente nos próximos dois meses. Na soma dos cinco meses, o governo estima uma "perda" de R$ 2 bilhões. Em compensação, o prolongamento da medida deve manter o mercado automobilístico brasileiro aquecido, diante de um cenário internacional preocupante e deficitário – especialmente na Europa. E essa "paz" momentânea é garantida às vésperas das eleições municipais. Importados seguem na berlinda Para as montadoras instaladas no país, a prorrogação do IPI reduzido provavelmente manterá as vendas de carros "no azul", o que deve garantir volume suficiente para registrar crescimento e mais recordes até outubro. Já para as importadoras, a manutenção do desconto na taxa não deve melhorar os resultados, pois os modelos trazidos de fora do eixo Mercosul-México seguirão pagando o "super IPI", que adiciona 30 pontos percentuais à taxa. COMENTARIO: A redução do imposto sobre produtos industrializados causou um aumento significativo na frota de carros no Brasil. A medida teve como intenção incentivar o emprego nas indústrias automobilisticas. Um acordo entre o governo e tais empresas colocou a condição de que com o IPI reduzido, não haveria demissões em massa e algumas contratações deveriam ser feitas. Tais medidas são imediatistas, e podem causar caos tanto na arrecadação dos impostos quanto no trânsito nas cidades brasileiras.
Lido 566 vezes   Comentários (0)
 
 
Unasul declara apoio ao Equador na concessão de asilo a Assange
Por Fernando (B-14) - domingo, 19 de agosto de 2012, às 21:47:51
Categoria: Postagem Livre

O fundador do site Wikileaks está exilado na Embaixada do Equador em Londres desde o dia 19 de julho 19 de agosto de 2012 | 18h 24 A União de Nações Sul-Americanas (Unasul) declarou apoio à decisão do Equador de conceder asilo ao jornalista australiano Julian Assange, fundador e editor-chefe do WikiLeaks, um site especializado em vazamento de informações secretas. Em comunicado conjunto divulgado após reunião de chanceleres realizada neste domingo na cidade equatoriana de Guayaquil, a Unasul expressou solidariedade a Quito e defendeu que uma "solução mutuamente aceitável" para o impasse envolvendo os governos do Equador e do Reino Unido seja encontrada por meio de diálogo. Assange está refugiado há dois meses na Embaixada do Equador em Londres. O governo equatoriano anunciou na última semana a concessão de asilo a Assange. O Reino Unido expediu uma ordem de extradição contra Assange para a Suécia, onde o australiano é acusado de estupro. Assange nega que tenha cometido o crime e qualifica o processo como retaliação às atividades do WikiLeaks. As informações são da Dow Jones. Discurso de Assange O fundador do site Wikileaks, Julian Assange, fez um breve discurso neste domingo, 19, na Embaixada do Equador em Londres, onde está exilado desde o dia 19 de julho. O país sul-americano anunciou na última quinta-feira, 16, que concederá asilo político ao australiano. Ele havia solicitado refúgio na sede diplomática do país sul-americano em 19 de junho para não ser extraditado para Suécia, onde responde por denúncias de agressão sexual. Em sua primeira aparição pública após 61 dias abrigado na prédio da Embaixada, Julian Assange afirmou que a polícia britânica tentou entrar na última quarta-feira na embaixada, mas desistiu por causa da presença de jornalistas e apoiadores em frente ao local. Ele agradeceu aos meios de comunicação presentes por serem "os olhos do mundo". Falando de um pequeno balcão, Assange agradeceu ao presidente equatoriano Rafael Corrêa pela "coragem que demonstrou" ao conceder o asilo. A Inglaterra não pode prender o criador do Wikileaks enquanto ele estiver na embaixada do Equador, mas prometeu 'dificultar' sua saída do país. Julian Assange também pediu ao presidente dos EUA Barack Obama que 'faça a coisa certa' e não processe ou persiga quem colaborou com a divulgação de documentos no WikiLeaks. "Os Estados Unidos devem renunciar à sua caçada às bruxas contra o Wikileaks", disse o australiano. Ele pediu ainda a libertação do soldado americano Bradley Manning, acusado de liberar arquivos secretos para o Wikileaks. O militar está preso e aguarda julgamento.
Lido 583 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>