Blog: GEONEWS
Você está vendo a Turma 2013 - Ver outros anos

GEONEWS Blog: GEONEWS
Lucas (C-14), Werner (C-31)
Vitor (C-30), Lucas (C-16)

O caos na cidade
Por GEONEWS - quarta, 06 de novembro de 2013, às 22:02:34
Categoria: Postagem Obrigatória

''A mescla entre o incentivo ao privatismo e a tentativa de resolução do trânsito em um ciclo anual''
Lido 432 vezes   Comentários (0)
 
 
Em discurso sobre protestos, Dilma elogia manifestantes, PM e próprio governo.
Por GEONEWS - terça, 18 de junho de 2013, às 15:40:08
Categoria: Postagem Obrigatória

Em discurso em cerimônia no Palácio do Planalto na manhã desta terça-feira (18), a presidente Dilma Rousseff disse que o Brasil "acordou mais forte" depois dos protestos que ocorreram em dezenas de cidades na segunda-feira. Ela elogiou os manifestantes, a polícia, por não ter cometido excessos, e fez um autoelogio ao seu governo.

"O Brasil hoje acordou mais forte. A grandeza das manifestações de ontem comprovam a energia da nossa democracia. A força da voz da rua e o civismo da nossa população. É bom ver tantos jovens e adultos, o neto, o pai, o avô juntos com a bandeira do Brasil cantando o Hino Nacional, dizendo com orgulho eu sou brasileiro e defendendo um país melhor. O Brasil tem orgulho deles.""Essas vozes, que ultrapassam os mecanismos tradicionais, os partidos políticos e a própria mídia, precisam ser ouvidas", afirmou em discurso durante lançamento do novo marco da mineração no Brasil.

"A minha geração sabe quanto isso nos custou. Eu vi ontem um cartaz muito interessante que dizia: 'Desculpe o transtorno, estamos mudando o país'. Quero dizer que meu governo está ouvindo essas vozes por mudanças", afirmou.

A presidente louvou o caráter pacífico das manifestações, inclusive da parte da Polícia Militar, mas observou que os "atos isolados de violência contra pessoas e patrimônio" deveriam ser punidos. "O caráter pacífico dos atos de ontem evidenciou também o correto tratamento dado pela segurança pública à livre manifestação popular. Conviveram pacificamente. Infelizmente, é verdade, ocorreram atos minoritários isolados de violência contra pessoas e contra o patrimônio público e privado, que devem condenar e punir com rigor. Toda violência é destrutiva."

Segundo ela, porém, a violência "não ofuscou o espírito pacífico das pessoas que foram às ruas pacificamente pedir pelos seus direitos".

Dilma elencou ainda os diversos motivos que levaram milhares de pessoas às ruas de várias cidades do Brasil ontem.

"A mensagem direta das ruas é por mais cidadania, por mais escolas, melhores hospitais, direito de participação. Essa mensagem das ruas mostra a exigência de melhorias no transporte a preço justo, e o direito de influir nas decisões de todos os governos. Essa mensagem das ruas é de repúdio à corrupção e ao uso indevido de dinheiro público e comprova o valor intrínseco da democracia, da participação dos cidadãos por seus direitos."

Mais cedo, em audiência no Senado, o ministro Gilberto Carvalho, um dos assessores mais próximos de Dilma, havia afirmado que o governo "não entendeu" o funcionamento dos novos protestos. "Não conseguimos entender o que está ocorrendo ainda. São novas formas de organização de mobilização que ainda não compreendemos".Ontem, em breve nota oficial, a presidente Dilma Rousseff defendeu as manifestações, desde que pacíficas. "As manifestações pacíficas são legítimas e próprias da democracia. É próprio dos jovens se manifestarem", afirmou a presidente em texto divulgado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

A insatisfação que levou milhares às ruas em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e várias grandes cidades nos últimos dias, em manifestações que resultaram em inúmeros atos de violência, depredação e confrontos com a polícia, vai além do descontentamento com a elevação na tarifa do transporte público. E no momento em que o Brasil está sob os holofotes às vésperas de receber grandes eventos internacionais, o movimento ganha corpo e se espalha por outras capitais do país.Entenda

Em Brasília, segundo a Polícia Militar,cerca de 10 mil pessoas participaram da manifestação nesta segunda, com um leque de reivindicações bastante amplo. Os manifestantes ocuparam a marquise do Congresso Nacional por cerca de cinco horas.

Um dos organizadores do evento no Facebook entregou à polícia legislativa uma lista de reivindicações. Entre os itens, há um pedido para que a Câmara abra investigação sobre a violência policial contra os manifestantes.

Desde a semana retrasada, manifestantes de São Paulo, em sua maioria jovens e estudantes, têm protestado contra o aumento de 20 centavos nas tarifas do transporte público em São Paulo --foi de R$ 3 para R$ 3,20. Autoridades descartam rever o preço e argumentam que o reajuste, inicialmente previsto para janeiro, foi postergado para junho e veio abaixo da inflação.

COMENTÁRIO: Quem imaginava que, por apenas 20 centavos, o Brasil inteiro se revoltaria contra o governo. Esse aumento serviu de estopim pra população se revoltar contra toda a corrupção existente no país. Com um inicio pacifico, as manifestações em diversas capitais brasileiras, nessa segunda-feira, se tornam cada dia mais fortes. 


Lido 428 vezes   Comentários (0)
 
 
Em nota, Anistia Internacional condena 'repressão' em SP e Rio
Por Lucas (C-14) - sexta, 14 de junho de 2013, às 00:39:00
Categoria: Postagem Livre

A Anistia Internacional divulgou nota na noite desta quinta-feira sobre os protestos contra o aumento das tarifas de ônibus em São Paulo e no Rio de Janeiro. Segundo a entidade, a ação da polícia mostra "radicalização da repressão" e o transporte público acessível é de "fundamental importância''.

Confira, na íntegra, a nota:
A Anistia Internacional vê com preocupação o aumento da violência na repressão aos protestos contra o aumento das passagens de ônibus no Rio de Janeiro e em São Paulo. Também é preocupante o discurso das autoridades sinalizando uma radicalização da repressão e a prisão de jornalistas e manifestantes, em alguns casos enquadrados no crime de formação de quadrilha.

O transporte público acessível é de fundamental importância para que a população possa exercer seu direito de ir e vir, tão importante quanto os demais direitos como educação, saúde, moradia, de expressão, entre outros.

É fundamental que o direito à manifestação e a realização de protestos pacíficos seja assegurado. A Anistia Internacional é contra a depredação do patrimônio púbico e atos violentos de ambos os lados e considera urgente o estabelecimento de um canal de diálogo entre governo e manifestantes para que se encontre uma solução pacífica para o impasse.

COMENTÁRIO OPCIONAL:  Violência ? Repressão ? Corrupção ? Nada é certo em um país com o nosso. A preocupação internacional com a atitude governamental de reprimir cidadãos exercendo seus direitos é evidente. É necessária uma maior conversa conjuntural entre agentes governamentais, como  a V. Ex.ªGeraldo Alckmin e V. Ex.ª Fernando Haddad. Uma ruptura no sistema capitalista tomando em vista a opressão e distribuição gratuita de violência presente no Brasil ? Nada é certo, como foi dito logo no início. Por isso, é de extrema importância uma quebra do chamado orgulho político de certos governantes, e um diálogo entre ambos será urgentemente eficiente.
Lido 456 vezes   Comentários (0)
 
 
Dados de comércio reforçam temor sobre desaceleração da China
Por Lucas (C-14) - sábado, 08 de junho de 2013, às 17:05:24
Categoria: Postagem Livre
As exportações da China tiveram sua menor taxa de crescimento em quase um ano no mês de maio, enquanto as importações caíram inesperadamente, mostraram dados divulgados pelo governo neste sábado, reforçando a preocupação de que o crescimento da segunda maior economia do mundo pode desacelerar novamente no segundo trimestre.

Crescentes indícios nas últimas semanas mostram que a economia está desacelerando rapidamente, enquanto a fraca demanda interna não consegue compensar a fraca exportação. Os números mais recentes refletem com mais precisão a situação em que vivem os exportadores da China.

"As informações de comércio refletem uma lentidão doméstica e da venda externa, sinalizando que haverá uma recuperação mais lenta do que a esperada no segundo trimestre," disse Shen Lan, um economista da Standard Chartered, em Xangai.

Os dados relativos às vendas de maio no varejo e na produção industrial, assim como sobre os investimentos e a inflação, serão divulgados no domingo e poderão fornecer mais indícios sobre a desaceleração.

As exportações subiram um por cento em maio, em relação ao ano anterior, o menor crescimento desde julho passado, bem abaixo de uma previsão média de pesquisa da Reuters de aumento de 7,3%. Os dados sobre as importações foram ainda piores - elas caíram 0,3% contra as expectativas de 6% de crescimento.

O superávit comercial do mês foi de US$ 20,4 bilhões, em comparação às expectativas do mercado de US$ 19,3 bilhões. As exportações para os EUA, principal destino dos embarques chineses, caíram 1,6% em maio, o terceiro mês de queda consecutiva, enquanto que as exportações para a UE, o segundo mercado mais importante, caíram 9,7%, também pelo terceiro mês consecutivo.

Porém, em um sinal positivo, informações alfandegárias separadas, mostraram que as importações das principais commodities da China aumentaram em maio, em comparação ao mês anterior, ajudadas pelos preços mais baixos nos mercados mundiais, e apontando para uma demanda resiliente.
Lido 463 vezes   Comentários (0)
 
 
Aquecimento global, algo deve ser feito!
Por GEONEWS - sexta, 31 de maio de 2013, às 18:03:52
Categoria: Postagem Obrigatória
A preocupação com o aquecimento global vem crescendo nos últimos anos. Porém o que é esse fenômeno? É o processo em que ocorre o aumento da temperatura média dos oceanos e da camada de ar perto da superfície da Terra. Sendo assim, ele é causado por emissões humanas de gases do efeito estufa e agravado por respostas naturais como o aumento da temperatura média do planeta, desencadeando outras alterações nos sistemas terrestres, incluindo o aumento do nível do mar e mudanças nas precipitações, resultando em enchentes e secas. Entretanto há uma linha de pensamento Cético que diz que o homem não é o principal causador do efeito, para estes pensadores o efeito é natural. Tomando isso como base, os céticos acreditam que o homem só interfere localmente, e não globalmente.Logo, é evidente que algumas medidas devem ser tomadas, como redução nos índices do monóxido de carbono e do metano, que é 22 vezes mais poluente que o CO2. É importante frisar que os painéis climáticos da ONU projetam que as temperaturas globais aumentarão de 1,1 a 4,6 ºC até o ano de 2100, algo deve ser feito...
Lido 479 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>