Blog: Imperio_do_Centro
Você está vendo a Turma 2013 - Ver outros anos

Imperio_do_Centro Blog: Imperio_do_Centro
André (B-2), Bruno (B-4)
Gabriel (B-7), Gustavo (B-12)

Manifestação pela paz
Por Imperio_do_Centro - quinta, 07 de novembro de 2013, às 08:47:32
Categoria: Postagem Obrigatória

Foto tirada durante a manifestação pela paz na avenida paulista, após o assassinato do ex-aluno agostiniano Victor Hugo Deppman.
Lido 378 vezes   Comentários (0)
 
 
Em reunião com ministros, Dilma cobra resultados, diz Gleisi
Por André (B-2) - sábado, 02 de novembro de 2013, às 21:20:12
Categoria: Postagem Livre

A chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, disse que a presidente Dilma Rousseff pediu que sua equipe "agilize resultados". Ela estava entre os 15 ministros que participaram de uma reunião com a presidente neste sábado (2) e que durou sete horas no Palácio da Alvorada. Durante o encontro, foi feito um balanço da área social do governo, de acordo com a ministra.

Gleisi Hoffmann disse que a presidente “assumiu vários compromissos” e que deve prestar contas à população. “São várias entregas que a presidenta cobrou dos ministros para que agilizassem alguns resultados e que nós pudéssemos prestar contas à população”, disse.

Em junho, como forma de resposta às manifestações populares, Dilma lançou cinco pactos por saúde, educação, mobilidade urbana, responsabilidade fiscal e reforma política.

“A presidente aproveitou para fazer um balanço detalhado da área social e de infraestrutura do governo, cobrar resultados, fazer um levantamento dos programas e quais são as entregas que nós temos a fazer para a população”, afirmou a ministra após deixar a reunião.

Entre as entregas previstas, relatou Gleisi, estão Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), rodovias, unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida e equipamentos para a área rural, como retroescavadeiras.

O governo ainda pretende anunciar resultados em alguns dos seus principais programas sociais: o Mais Médicos, que abre vagas para médicos brasileiros e estrangeiros em áreas carentes do país, e o Programa Nacional de acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Segundo o G1 apurou, Dilma pediu durante a semana ao Ministério do Planejamento, pasta gestora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), um balanço das obras que poderão ser inauguradas até dezembro de 2014. A intenção da presidente é montar uma agenda de inaugurações e de anúncios de empreendimentos até o fim do seu mandato.

Questionada se o balanço feito neste sábado visa a reeleição de Dilma, a chefe da Casa Civil negou. “Isso tem a ver com resultado de governo. Um governo é eleito, organiza seus programas, faz compromisso com a população e tem que prestar contas. Estamos num momento de prestação de contas e de entregas”, afirmou.

Essa foi a primeira de uma série de reuniões que Dilma pretende realizar semanalmente sobre áreas específicas do governo, segundo informou o porta-voz da Presidência, Thomas Traumman. Os próximos temas serão infraestrutura, grandes eventos esportivos e agricultura.

'Preocupada'
O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que Dilma quis saber sobre programas específicos da área social, como o Mais Médicos. “Ela quer que as coisas aconteçam, está preocupada”, relatou.

Reuniões com ministros
Quinze ministros chegaram por volta das 10h à residência oficial da presidente, o Palácio da Alvorada. Participaram Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), César Borges (Transportes), Antônio Henrique Pinheiro (Secretaria de Portos), Ideli Salvatti (Relações Institucionais), Tereza Campello (Desenvolvimento Social), Francisco Teixeira (Integração Nacional),  Miriam Belchior (Planejamento), Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Aloizio Mercadante (Educação), Edison Lobão (Minas e Energia), Paulo Bernardo (Comunicações), Alexandre Padilha (Saúde), Aguinaldo Ribeiro (Cidades) e Eleonora Menicucci (Secretaria das Mulheres). Participou também o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda.

Não é a primeira vez que Dilma reúne seus ministros em um sábado. Em julho, após a onda de manifestações que tomaram conta das ruas do país, a chefe do Executivo convocou seus auxiliares da Esplanada para tratar sobre os cinco pactos que viriam a ser anunciados dias depois em cadeia de rádio e televisão como resposta aos protestos.

No início de 2012, como preparação para uma reunião ministerial com todos os seus auxiliares, Dilma fez encontros setoriais e convocou alguns deles também no final de semana.

Em 21 de janeiro, um sábado, a presidente promoveu uma reunião no Palácio da Alvorada para tratar sobre assuntos econômicos e crédito e financiamento. No dia seguinte, ela debateu com seu ministério a organização de "grandes eventos", como a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, que serão sediadas no Brasil.

Fonte : http://glo.bo/1cziFYr


Lido 386 vezes   Comentários (0)
 
 
Enviado da ONU exige presença de oposição 'crível' em conferência síria
Por André (B-2) - domingo, 20 de outubro de 2013, às 14:59:23
Categoria: Postagem Livre

O emissário internacional para a Síria, Lakhdar Brahimi, exigiu neste domingo (20) a presença de uma oposição "crível" para a realização da conferência internacional de paz de Genebra, no dia 23 de novembro, que tem por objetivo reunir governo e insurgentes para negociar uma solução.

Brahimi, enviado especial da ONU e da Liga Árabe, reuniu-se neste domingo no Cairo com o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al-Arabi.

Arabi afirmou depois da reunião que a conferência internacional de paz, chamada de Genebra-2, será realizada no dia 23 de novembro, confirmando o que tinha sido anunciado pelo governo sírio há alguns dias.

O emissário afirmou que o principal desafio será levar para esta reunião a oposição síria, muito dividida sobre a conveniência de sentar-se à mesma mesa para dialogar com o regime, quando no terreno seguem os bombardeios e os combates.

Neste domingo, pelo menos 31 pessoas, entre elas vários soldados, morreram na cidade de Hama quando um suicida detonou um caminhão cheio de explosivos em um posto militar.

A reunião, disse o diplomata argelino, 'não será realizada sem uma oposição crível, que represente uma parte importante do povo sírio que se opõe' ao governo de Bashar al-Assad.

A coalizão opositora deve decidir na próxima semana em Istambul se participa da conferência Genebra-2.

O Conselho Nacional Sírio (CNS), seu principal integrante, adiantou há uma semana que não vai negociar com o regime na cidade suíça.

Brahimi acrescentou que viajará agora ao Catar e à Turquia, dois países que apoiam a oposição, e também à Síria, embora o governo tenha imposto como condição que ele seja 'imparcial', segundo informou neste domingo o jornal do governo Al-Watan.

Depois ele viajará ao Irã, principal aliado do regime de Damasco, e, por fim, a Genebra, onde se reunirá com representantes dos governos russo e americano, que promovem a conferência de paz.

A realização deste encontro, anunciada semanas atrás, foi adiada em várias ocasiões, devido aos desacordos sobre quem deve participar e quais devem ser os objetivos.

O regime descartou a saída antecipada do presidente Bashar al-Assad. Mas a oposição no exílio insiste que a transição deve ser realizada sem ele.

A promoção da conferência de Genebra também será um ponto importante na agenda do secretário de Estado americano, John Kerry.

O secretário participa de um encontro dos Amigos da Síria na terça, em Londres, no qual estarão representantes da oposição e ministros de onze países ocidentais e árabes.

O apoio a Genebra-2 se intensificou depois de Damasco ter aceitado em setembro um acordo que estabelecia a entrega do arsenal químico sírio e sua destruição.

Já a Arábia Saudita viu na gestão do conflito sírio por parte do Conselho de Segurança da ONU um sinal de 'impotência', e, alegando isso, negou-se a ocupar um assento temporário no organismo a partir de 1º de janeiro.

Nabil al-Arabi manifestou neste domingo seu apoio a Riad, enquanto outros países árabes estão pedindo à poderosa monarquia que reconsidere sua decisão.

Atentado suicida em Hama Na frente de batalha, pelo menos 31 pessoas morreram neste domingo em um atentado suicida contra um posto militar na cidade de Hama, no centro do país.

'Pelo menos 31 pessoas, entre elas soldados do regime, morreram quando um homem detonou um caminhão carregado de explosivos em um posto, perto de uma empresa de veículos agrícolas, na estrada entre Hama e Salamiyeh', indicou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

No leste do país, perto da cidade de Deir Ezzor, os combates se intensificaram na manhã deste domingo. Alguns ativistas da União de Coordenadores da Revolução Síria denunciaram quatro ataques aéreos em zonas controladas pelos rebeldes na capital provincial.

No norte, a força aérea do regime atacou insurgentes que tentavam tomar a prisão principal de Aleppo, controlada pelo governo.

Fonte : http://glo.bo/19kmbFi


Lido 393 vezes   Comentários (0)
 
 
Gigantes Exxon, BP e BG não participarão do leilão do pré-sal
Por André (B-2) - quinta, 19 de setembro de 2013, às 15:21:59
Categoria: Postagem Livre

RIO - A diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, afirmou nesta quinta-feira, 19, ter recebido telefonema de três gigantes do setor petroleiro, Exxon Mobil, BP e BG, dizendo que não participarão do leilão de Libra, o primeiro do pré-sal e o campo com a maior reserva. O primeiro leilão do pré-sal  será dia 21 de outubro.

 Segundo ela, as companhias disseram que não participariam por questões próprias internas muito específicas, mas as três reafirmaram interesse em futuras oportunidades no Brasil. "Existe um contexto mundial, situações muito específicas que levam a isso", disse.

Magda afirmou que esperava que mostrassem interesse no leilão todas as empresas classificadas pela ANP como operadora A (licença para comandar exploração em águas profundas) e B (águas rasas), aproximadamente 40 companhias.

A ANP informou que o número oficial de empresas inscritas para o leilão chegou a onze companhias. Elas pagaram a taxa de R$ 2,076 milhões de inscrição. Os documentos enviados pelas candidatas estão em análise na Área de Licitações da ANP e ainda não é certo que a lista nominal das empresas será divulgada nesta quinta.

Pela manhã, em evento no Rio, a diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, chegou a citar 12 empresas participantes. Magda mostrou certa frustração, embora não tenha usado estes termos, comcom o fato de que o número deve ficar abaixo dos 40 esperado por ela.

Fonte: http://economia.estadao.com.br/not...e-sal,165141,0.htm
Lido 405 vezes   Comentários (0)
 
 
Balança comercial tem superávit de US$ 617 milhões na última semana
Por Imperio_do_Centro - segunda, 16 de setembro de 2013, às 22:14:27
Categoria: Postagem Obrigatória

A balança comercial brasileira registrou um superávit (exportações menos compras do exterior) de US$ 617 milhões na segunda semana de setembro, entre os dias 9 e 15 deste mês, informou nesta segunda-feira (16) o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Já na parcial de setembro, até o dia 15 deste mês, foi registrado um saldo positivo de US$ 916 milhões, ainda segundo números oficiais, resultado de US$ 9,99 bilhões em exportações, com média diária de US$ 999 milhões e queda de 5,1% frente a igual mês de 2012, e de US$ 9,07 bilhões (US$ 907 milhões por dia útil) em importações – com recuo de 1,1% sobre setembro do ano passado.

Acumulado do ano
No acumulado de janeiro a 15 de setembro, porém, a balança comercial apresentou um déficit (quando as importações são maiores que as vendas externas) no valor de US$ 2,85 bilhões.

Em igual período do ano passado, o saldo comercial estava positivo (superávit) em US$ 14,82 bilhões. Com isso, houve uma reversão de US$ 17,67 bilhões no saldo comercial em 2013. Até agosto, o resultado foi o pior em 18 anos.

No acumulado de 2013, as vendas externas somaram US$ 166,64 bilhões, com média diária de US$ 936 milhões e queda de 1,8% sobre o ano passado, enquanto que as importações somaram US$ 169,49 bilhões (US$ 952 milhões por dia útil) – alta de 9,4% sobre 2012.

Razões para o fraco resultado
O fraco desempenho da balança comercial neste ano acontece em meio à crise financeira internacional, que tem gerado queda do comércio mundial, e, segundo o governo federal, também está relacionado com o atraso na contabilização da importação de combustíveis e derivados.

O atraso na contabilização das importações de combustíveis aconteceu porque, em julho de 2012, a Receita Federal editou a instrução normativa 1.282, que concedeu um prazo de até 50 dias para registro das importações de combustíveis e derivados feitas pela Petrobras.

Normalmente, as empresas têm 20 dias para fazer o registro. Cerca de US$ 4,5 bilhões em importações de petróleo e derivados que aconteceram, de fato, em 2012 foram contabilizadas somente neste ano.

Ano de 2012 e expectativa para 2013
Em todo o ano de 2012, o superávit da balança comercial brasileira somou US$ 19,43 bilhões, o menor saldo positivo em dez anos. Com isso, o superávit da balança comercial registrou queda de 34,7% em relação ao ano de 2011, quando o superávit totalizou US$ 29,79 bilhões.

Para 2013, ano que ainda será influenciado pelos efeitos da crise financeira internacional e pela concorrência acirrada pelos mercados que ainda registram crescimento econômico – como é o caso do Brasil –, os economistas dos bancos acreditam que o valor do superávit da balança comercial (exportações menos importações) registrará forte queda, atingindo US$ 2 bilhões.

Comentário: A balança comercial brasileira, mesmo tendo um saldo positivo nos últimos meses, apresenta um déficit muito grande em comparação ao ano passado. Isso se dá ao fato de as importações terem aumentado muito mais em relação às exportações. Esses dados são muito prejudiciais para o crescimento da economia brasileira.

http://g1.globo.com/eco...tima-semana.html


Lido 407 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>