Blog: GeoVida
Você está vendo a Turma 2015 - Ver outros anos

Blog: GeoVida
Larissa (B-18), Lethicia (B-20)
Monique (B-23)

Belenzinho
Por GeoVida - quarta, 04 de novembro de 2015, às 18:20:05
Categoria: Postagem Obrigatória

Belenzinho:
Lido 210 vezes   Comentários (0)
 
 
Coreias chegam a acordo para diminuir tensões militares
Por GeoVida - quinta, 27 de agosto de 2015, às 16:27:23
Categoria: Postagem Obrigatória


As Coreias do Norte e do Sul chegaram nesta segunda-feira (terça-feira na data local) a um acordo para pôr fim a uma tensa crise militar após três dias de reuniões de alto nível, anunciaram os negociadores do Seul. Segundo o acordo, Pyongyang se dispôs a lamentar seu ataque com minas ocorrido no último dia 4 que provocou uma troca de disparos de artilharia e prometeu fazer esforços para não recorrer a mais provocações, afirmou a jornalistas Kim Kwan-jin, diretor do Escritório de Segurança Nacional da Coreia do Sul.

O governo de Seul, por sua vez, concordou em desligar às 12h locais desta terça (0h em Brasília) os alto-falantes que, na fronteira, divulgam propaganda contra o regime de Kim Jong-un.

A Coreia do Sul começou a transmitir as propagandas no começo deste mês pela primeira vez em 11 anos, como represália pela colocação das minas terrestres.O governo da Coreia do Norte pediu repetidamente que estas transmissões fossem interrompidas, por considerá-las um insulto a sua dignidade.

Altos representantes das duas Coreias chegaram ao acordo após negociarem desde o sábado de maneira praticamente ininterrupta na Aldeia da Trégua de Panmunjom, localizada na fronteira do paralelo 38.

O principal representante de Seul nas negociações qualificou o gesto de Pyongyang de admitir os ataques como "muito significativo", segundo declarações coletadas pela agência local "Yonhap".

Até agora a Coreia do Norte tinha negado seu envolvimento no incidente das minas e alegava que não disparou projétil algum, acusando Seul de ter inventado os fatos.

Desde quinta-feira, a tensão entre as duas Coreias tinha alcançado um alto grau, e Pyongyang chegou a qualificar a situação como "quase estado de guerra".



Comentário : 


O confronto entre as duas Coreias é de longa data, e já é um grande passo para a futura ''paz'' entre as duas tal acordo, para diminuir as tensōes. As provocaçōes que ocorreram da parte da Coreia do Norte , ocasionaram uma certa revolta da Coreia do Sul, que para revidar, começou a fazer propagandas contra a Coreia do Norte, o que foi elevando o nivel de tensão entre as duas Coreias. O melhor a se fazer seria mesmo um acordo, para que não ocorresse conflitos piores , como uma guerra entre elas, e talvez esse acordo , pode ser o começo de outros futuros acordos que podem devolver a paz para as Coreias. 


Lido 227 vezes   Comentários (0)
 
 
Chuva e deslizamentos de terra mataram 417 brasileiros.
Por GeoVida - quarta, 19 de agosto de 2015, às 21:48:42
Categoria: Charge

O desastre provocado pela chuva forte e deslizamentos de terra na região serrana do Rio de Janeiro causou a morte de pelo menos 417 pessoas. Os alertas sobre a intempérie foram ignorados pela proteção civil daquele estado do Brasil.

Nova Friburgo e Teresópolis são as cidades mais afetadas. Mais de mil socorristas estão a trabalhar no resgate das vítimas atingidas pelo desastre. Os últimos números apontam para 417 mortos. Imagens feitas de helicópteros e transmitidas pelas televisões brasileiras revelam um cenário de horror, com escombros e lama por todo o lado, casas soterradas, carros empilhados, avenidas e estradas inundadas.

A Presidente do país, Dilma Rousseff, irá visitar as áreas atingidas, mas antes disso disponibilizou 356 milhões de euros para os estados atingidos pelo mau tempo, incluindo o Rio de Janeiro e São Paulo.

Carlos Minc, secretário estadural do Ambiente, diz que a catástrofe natural foi potenciada pela irresponsabilidade de vários presidentes de câmara na ocupação de encostas das serras: "A desgraça de Teresópolis não tem tamanho. Já há cem mortos, entre números oficiais e as informações que vão chegando. O que aconteceu foi uma combinação de uma catástrofe natural com a irresponsabilidade histórica de vários prefeitos. Alguns inclusive estimularam a ocupação nas encostas. Eu, como ministro dupliquei a área do Parque Nacional da Serra dos Órgãos."

Comentário: O deslizamento de encostas é um exemplo de desastre natural que ocorre no Brasil e que é potencializado pela ação humana; como o desmatamento. Para evitar esse desastre algumas medidas podem ser tomadas, como:

- Políticas habitacionais implementar a longo prazo;

- Adequação das edificações à topografia dos terrenos;

- Preservação da vegetação de topo de morros e encostas;

- Remoção da população das áreas de risco;

- Mapeamento prévio das áreas de risco;

- Coordenação de ações entre os orgãos públicos distintos (obras públicas, defesa civil).



Lido 243 vezes   Comentários (0)
 
 
Deslizamentos
Por GeoVida - quarta, 19 de agosto de 2015, às 13:49:47
Categoria: Postagem Obrigatória
Chuva e deslizamentos de terra mataram 417 brasileiros.  

 

O desastre provocado pela chuva forte e deslizamentos de terra na região serrana do Rio de Janeiro causou a morte de pelo menos 417 pessoas. Os alertas sobre a intempérie foram ignorados pela proteção civil daquele estado do Brasil.

Nova Friburgo e Teresópolis são as cidades mais afetadas. Mais de mil socorristas estão a trabalhar no resgate das vítimas atingidas pelo desastre. Os últimos números apontam para 417 mortos. Imagens feitas de helicópteros e transmitidas pelas televisões brasileiras revelam um cenário de horror, com escombros e lama por todo o lado, casas soterradas, carros empilhados, avenidas e estradas inundadas.

A Presidente do país, Dilma Rousseff, irá visitar as áreas atingidas, mas antes disso disponibilizou 356 milhões de euros para os estados atingidos pelo mau tempo, incluindo o Rio de Janeiro e São Paulo.

Carlos Minc, secretário estadural do Ambiente, diz que a catástrofe natural foi potenciada pela irresponsabilidade de vários presidentes de câmara na ocupação de encostas das serras: "A desgraça de Teresópolis não tem tamanho. Já há cem mortos, entre números oficiais e as informações que vão chegando. O que aconteceu foi uma combinação de uma catástrofe natural com a irresponsabilidade histórica de vários prefeitos. Alguns inclusive estimularam a ocupação nas encostas. Eu, como ministro dupliquei a área do Parque Nacional da Serra dos Órgãos."

Comentário: O deslizamento de encostas é um exemplo de desastre natural que ocorre no Brasil e que é potencializado pela ação humana; como o desmatamento. Para evitar esse desastre algumas medidas podem ser tomadas, como:

- Políticas habitacionais implementar a longo prazo;

- Adequação das edificações à topografia dos terrenos;

- Preservação da vegetação de topo de morros e encostas;

- Remoção da população das áreas de risco;

- Mapeamento prévio das áreas de risco;

- Coordenação de ações entre os orgãos públicos distintos (obras públicas, defesa civil).



Lido 261 vezes   Comentários (0)
 
 
Estado Islâmico
Por GeoVida - domingo, 09 de agosto de 2015, às 22:00:29
Categoria: Postagem Obrigatória


Estado Islâmico sequestra 230 muçulmanos e cristãos em cidade da SíriaCOMENTE

Em Beirute

07/08/201511h43 Ouvir texto 0:00 Imprimir Comunicar erro

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) sequestrou 230 civis, entre muçulmanos e cristãos, em uma cidade no centro da Síria símbolo da coexistência entre religiões e que foi tomada pelos extremistas no dia anterior.

Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), os civis foram sequestrados na quinta-feira na cidade de Al-Qaryatain, da qual o EI se apoderou na quarta-feira.

"O Daesh (EI em árabe) sequestrou pelo menos 230 pessoas, entre elas 170 sunitas e mais de 60 cristãos acusados de colaboração com o regime durante uma operação em Al-Qaryatain", explicou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, usando o acrônimo em árabe do EI.

O arcebispo Matta al-Khury, secretário do patriarcado siríaco ortodoxo em Damasco, indicou à AFP que não pode confirmar essas informações "porque é muito difícil estabelecer contato com os habitantes locais".

"Mas nós sabemos que quando entraram na cidade, os jihadistas proibiram os habitantes de deixar suas casas a fim de utilizá-los como escudos humanos" contra os ataques do regime, acrescentou.

Antes da guerra, a cidade de Al-Qaryatain tinha 18.000 muçulmanos sunitas e cerca de 2.000 católicos sírios e cristãos ortodoxos. Mas segundo o arcebispo al-Khury, restavam apenas 180 cristão após o ataque do EI.

Centenas de cristãos de cidades próximas deixaram a região ante o avanço do EI, segundo o OSDH.

De acordo com Rami Abdel Rahmane, o EI possui uma lista de pessoas a serem presas, mas costumam prender famílias inteiras que tentam fugir. O líder ortodoxo apelou os jihadistas a libertar os reféns.

CoexistênciaNesta cidade cercada pelo deserto, as relações entre cristãos e muçulmanos sempre foram excelentes, indicou à AFP uma mulher de Al-Qaryatain, citando como exemplo a cerimônia que marca o fim das obras de reforma de uma igreja do século VI, St. (Mar) Elian, em 9 de setembro de 2009.

"Naquele dia, havia o núncio apostólico, o imã, e as duas comunidades participaram da missa. Havia também dois religiosos cristãos que pregavam a convivência entre cristãos e muçulmanos, o padre Paolo (Dall'Oglio) e o padre Jacques Mourad, que foram sequestrados", acrescentou.

Jacques Mourad, padre católico sírio do mosteiro de Mar Elian de Al-Qaryataine, foi sequestrado em maio por três homens mascarados, no dia seguinte à tomada pelo EI da antiga cidade de Palmyra, não muito longe.

Paolo Dall'Oglio, um jesuíta, foi sequestrado em julho de 2013 pelo EI.

O nome da localidade é um símbolo de coexistência, Al-Qaryatain significa as "duas aldeias" em árabe.

Durante as invasões árabes do século VII, os habitantes cristãos tomaram a uma decisão sem precedentes: a metade de cada família se converteu ao Islã, a fim de proteger os outros membros.

"É por isso que muitas vezes as pessoas têm o mesmo sobrenome, mas são de diferentes religiões", explica esta mulher de Al-Qaryatain.

Durante a guerra, há dois anos, cerca de 700 muçulmanos de Homs refugiaram-se no mosteiro ao lado da igreja, ela acrescenta.

Localidade estratégicaAl-Qaryatain é um importante entroncamento que liga a periferia da província de Homs e o leste de Qalamun, perto da fronteira com o Líbano, duas regiões onde EI está presente.

A conquista da cidade permitirá ao EI transferir tropas e suprir as duas áreas, de acordo com o OSDH, com sede na Grã-Bretanha, mas que conta com uma importante rede de ativistas na Síria.

O conflito na Síria fez em quatro anos mais de 240.000 mortos, incluindo 12.000 crianças, de acordo com um recente relatório do OSDH.

Ele foi iniciado em março de 2011 pela sangrenta repressão de manifestações pacíficas contra o governo que degeneraram em revolta armada e, em seguida, brutal guerra civil.

Os combates opõem regime, rebeldes, curdos e jihadistas que se enfrentam em um território cada vez mais fragmentado, e mais de metade da população está deslocada ou refugiada.

A guerra ganhou um caráter particularmente dramático com o uso de armas químicas. O Conselho de Segurança das Nações Unidas deve adotar nesta sexta-feira uma resolução para formar um grupo de peritos para identificar os responsáveis por ataques químicos recentes com cloro.

Comentário: O grupo terrorista Estado Islâmico está dominando a região do Oriente Médio, além disso, estão exterminando outras religiões que não a Islâmica. Neste ultimo acontecimento foram sequestrados 230 muçulmanos e cristãos, fato que contribui singularmente para essa dramática guerra que envolve não só o Oriente Médio, mas o mundo inteiro.


Lido 266 vezes   Comentários (0)
 
 
  Próxima Página >>